quarta-feira, 17 de maio de 2017

Não sei bem por onde começar...

A não ser por dizer que ontem tive que tomar uma das, senão mesmo a mais difícil decisão da minha vida. Não só me fez sentir uma péssima pessoa como, pela primeira vez na vida, me vi confrontada com uma decisão que tinha que ser tomada sozinha.
Ali estava eu sozinha a ter que decidir se deixava prolongar o sofrimento pela velhice do meu querido Merlin ou se optava por o adormecer para sempre...
O Merlin já tinha dado sinais de que não estava muito bem, mas entretanto recuperou e foi-se aguentando andando lá por casa tranquilamente.
Contudo, desde esta sexta-feira passada que piorou de repente. Já não se aguentava em pé, "desmanchava-se" todo a andar, já não ia à caixinha fazer as suas necessidades, e tive que o deitar numa mantinha, com água por perto pois já mal se levantava, e só comia fiambre que eu lhe dava à boca...
Dei por mim a limpar-lhe o rabinho com toalhitas e a tê-lo ao colo, enrolado numa mantinha enquanto me olhava como que a dizer-me que estava cansado dos anos que carregava e da vida cheia que tinha tido...
De Domingo para segunda-feira, não sei como conseguiu mas levantou-se e foi ter comigo à cama, como era habitual, e eu lá o peguei ao colo, pois não conseguia saltar como antes, e deitei-o ao meu lado, tapado com os lençóis para o aquecer e confortar...
Na segunda-feira de manhã, embrulhei-o numa mantinha, e depois de ter deixado o filhote na Escola, lá fomos a caminho da clínica veterinária, estando já muito debilitado e fraco.
Enquanto esperávamos que a clínica abrisse, deitado ao meu colo como se de um bebé se tratasse, voltou a olhar-me com um ar terno, de paz e como que de agradecimento...
O seu estado agravou-se e ontem teve que ser tomada a decisão que me fez sentir a pior pessoa do mundo. Depois de quase dezassete anos de companhia, o meu gato Merlin estava a desistir da vida e por isso teve que ser adormecido, para não mais sofrer...
Dei-lhe um beijinho, pedi desculpas, despedi-me dele e vim embora a chorar com a dor de ir perder o meu amigo...
Agora descansa de forma tranquila, depois de uma vida cheia e feliz, depois de ter passado por tantas coisas e de ser um marco na nossa vida, afinal foram quase 17 anos de companhia fiel, leal e meiga...
A Morgana já tinha partido há uns anos, agora foi a vez do Merlin.
Estou em crer que um dia nos voltaremos a encontrar...
Até sempre Merlin...
28/10/2000 - 16/05/2017.



Merlin e Morgana - em 2004/2005 na casa perto de Lisboa.

Merlin e eu aqui no Oeste - 18/03/2017.

Merlin já "em baixo" neste fim de semana em que o seu estado se agravou - 13/05/2017.

4 comentários:

Pedro disse...

Sei bem o que isso é.
Não sei se com o tempo vai doendo menos mas pelo menos vamo-nos habituando à ideia.
Esquecer, nunca se esquece.
17 anos num gato, equivale a 85 num ser humano.
O Merlin foi um vencedor em toda a linha, apenas vencido pela idade. Não morreu doente, morreu velhinho. Não cometeste nenhum crime. Se não tomasses essa decisão ontem, acontecia na mesma daqui a dois ou três dias e porventura com mais sofrimento para ele.

Ainda hoje choro quando me lembro da Xinja e já vai fazer 3 anos no próximo dia 24 de Maio que tive de tomar a mesma decisão. Não por velhice, mas por doença. A leucemia felina levou-a ainda antes de fazer um ano. Nasceu a 7 de Junho de 2013.

Pelo menos os gatos, ao contrário dos humanos, só nos dão um desgosto na vida. É no dia em que nos deixam.

Ninguém disse que a vida era fácil. A morte chega a todos.
Continuo a achar que a única obrigação que temos na vida é a de nos divertirmos e sermos felizes.
Quero lá saber do resto. Vamos todos morrer.

Beijinho!

Algures no Oeste disse...

Pedro: é verdade, o Merlin teve uma longa, e feliz, vida... ao pensar nele como uma pessoa com 85 anos, diria mesmo que teve uma vida muito preenchida...
Lamento muito pela tua gatita mas, como dizes, é verdade, os gatos sós nos dão um desgosto quando partem, ao contrário dos humanos...

A única certeza é mesmo essa, a de que vamos todos morrer... E é por isso que começo a não ligar também muito a... "detalhes"... quero é ser feliz e viver...

Beijinhos :-)

Gaja Maria disse...

Oh! Ver sofrer um animal nosso amigo e que nos acompanhou em tantos momentos da nossa vida dói. Melhor assim, partiu com certeza feliz. Beijinho

Algures no Oeste disse...

Gaja Maria: É verdade, custa muito mas não se podia "pedir mais" tendo em conta a sua idade...
Beijinhos.