quinta-feira, 1 de junho de 2017

Uma aventura logo de manhã

Introdução e Contexto: na passada sexta-feira, dia de greve, o filhote passou todo o dia comigo no meu trabalho porque não teve Escola.
Almoçámos juntos num 'shopping' e acabei por ser cravada numa loja manhosa dum chinês qualquer para lhe comprar um Fidget Spinner.
Acabei por ser cravada novamente por causa do raio do jogo Clash Royale que já deito pelos olhinhos.
Foram dias de brincadeira desde sexta até domingo. Havia teste na segunda. Houve birra, houve mau comportamento mas agora não me apetece falar disso.
Conclusão no Dia de Hoje: Hoje é Dia da Criança e a minha criança, que o está a deixar de ser porque se está a tornar numa espécie de pré adolescente que às vezes é deveras irritante com as suas atitudes, posturas e respostas.
Bom, mas sendo dia da Criança, como sempre, comprei uma "coisinha" para colocar na mesa do pequeno-almoço, toda contente. Comprei um livro de "Uma Aventura" que ali estava embrulhado sobre a taça dos cereais.
Abriu o presente, percebendo claramente que era um livro, algo que lhe dou e leio desde bebé, e que agora parece ser o seu cavalo de batalha ao dizer-me que não gosta de livros, nem de ler, como se fosse um adolescente embirrento a contrariar a mãe, e diz-me assim de caras, antes das oito da manhã, que não gostava do livro.
Olhei para o meu filho, engoli em seco pois só me apetecia era dar-lhe um par de estalos, e disse-lhe que, mesmo não gostando do livro, que era de uma extrema falta de educação o que me estava a fazer, e que devemos sempre agradecer o que nos dão, por pouco que seja porque demonstra que alguém se lembrou de nós.
Perguntei ainda se achava bem o que tinha acabado de fazer. Respondeu que não.
Ficámos em silêncio. Baixou a cabeça. Comeu. Foi lavar os dentes e vestir-se.
A mim, a irritação passou e fiquei inundada duma tristeza imensa...
Nem um sorriso, nem um beijo de "obrigada mãe!" ou "lembraste-te de mim no dia da criança mãe!", ou tão somente um beijo ou um abraço.
Nada...
A tristeza e a desilusão tomaram conta de mim.
Esforço-me e desdobro-me para que tudo corra bem, para ser uma 'boa' mãe, para estar tudo tratado e organizado (escola, roupas, alimentação, etc...), para dar atenção e mimos, ainda mais depois do divórcio e estando sozinha, e... depois é isto...
Ou é da pré adolescência, ou é do feitio refinado do meu filho, ou é de mim.
Seja como for, muitas vezes me pergunto se estou a falhar nalguma coisa ou se isto é tão somente da parvoíce da idade...


Sem comentários: