quarta-feira, 12 de julho de 2017

10 anos não é assim muito tempo & a Felicidade

É que às vezes o filhote dá-me respostas em que pareço estar a conversar com um adulto e não com uma criança a caminho dos 11 anos.
O "enquadramento" deste pequeno e breve 'post' é que o filhote foi para um acampamento durante alguns dias.
Como em tudo na vida, e principalmente na vida chata dos adultos, houve lugar a desentendimentos, a pequenas confusões, amuos e chateações entre os 'campistas mais próximos', vulgo, que estavam a partilhar a mesma tenda...
Que tenho um filho com ideias fixas, isso já eu sabia, contudo, depois de ouvir de um lado e de outro, tenho o meu filho ao telefone que não muda de ideias relativamente à sua "posição" e ao que o levou a tomar essa posição, tem argumentos em relação ao outro lado-supostamente-ofendido-com a sua posição, e não arreda pé do que diz e sente.
No fim diz-me: "Não mãe, eu não vou mudar de ideias nem vou fazer isso porque em nada contribui para a minha felicidade.".
Ora toma e embrulha... Por instantes fiz um silêncio ao telefone porque não só estava a dar razão mentalmente ao meu filho como me apercebi que, efetivamente, isto era algo que eu devia ter feito ao longo da minha vida e muitas vezes não fiz, sempre a querer agradar aos outros ou com medo de desiludir ou melindrar ou de não agradar, acabei quase sempre por não fazer o que eu queria ou sentia mas sim as coisas de forma a não desapontar os outros.
Já o meu filho, admiro-o por isso. Ainda que às vezes me enerve e me contrarie, admiro-o por ter posições fortes, seguras e ter sempre contra argumentos. Admiro-o ainda mais por fazer aquilo em que acredita relativamente a um problema que surja...

Sem comentários: