terça-feira, 4 de julho de 2017

Houve um tempo

Houve um tempo em que eu passava a minha vida a correr para ir pedalar ao fim do dia quando saísse do trabalho, para ir ao ginásio à hora de almoço ou ao fim do dia quando desse.
Houve um tempo em que as minhas férias e horas extra eram regidas quase tão somente pela bicicleta.
Recordo-me de treinar com afinco para provas de BTT que aí vinham...
E tudo isto para quê...?
Às vezes andava numa correria louca para ter o jantar pronto ou o almoço ou ia pedalar nas tardes de domingo como se não tivesse mais nada para fazer ou família para usufruir da sua companhia.
Não estou a dizer que isto está "mal" mas, volvidos todos estes anos e tempos, concluo que... "quase" que não valia a pena...
Continuo a adorar a bicicleta mas não lhe pego há quase três semanas e as idas ao ginásio têm sido mais escassas...
O meu corpo e o meu peso ressentem-se mas, sinceramente, deixei de sentir aquele frenesim, aquela loucura de "ter que ir pedalar" porque senão perdia a forma ou ganhava meio quilo.
Continuo a sentir prazer em pedalar e em me exercitar mas já não estou para andar em stresses e correrias por causa disso.
Quando der, vou... Até porque... nas provas de BTT nunca evoluí grande coisa, sempre fui lenta e cheguei quase no fim, nunca me tornei mais rápida ou veloz ou numa grande trepadora, o meu peso sempre aumentou na mesma independentemente de me exercitar como uma maluca ou de pedalar todos os dias...
Sinto algum desalento no meio disto tudo... Perdi em parte o prazer que tinha em pedalar ou em ir a correr para o ginásio à hora de almoço... Não vi resultados ou progressos e isto ao fim de quase sete anos, até é de estranhar que não me tenha sentido assim antes...
Quero continuar a pedalar e vou fazê-lo. Tenho sonhos relacionados com a bicicleta como fazer algumas travessias ou peregrinações ou pedalar por onde nunca o fiz, como "simplesmente" por Lisboa... Mas... de momento sinto que dou mais valor e que me apetece mais estar com as pessoas que me rodeiam...
Tudo isto pode mudar até porque eu preciso de me exercitar e de pedalar para me sentir bem mas... com conta, peso e medida, com algum equilíbrio que eu acho que não tinha... Ter a minha vida condicionada pela bicicleta e deixar quase tudo e todos em segundo plano... não me parece...
Por estes dias tive o carro avariado e nem sequer fui trabalhar de bicicleta como aconteceu noutros momentos... Fui de autocarro e tive a boleia duma colega que é uma boa amiga e assim andei quase uma semana... Não me apeteceu transpirar ou ter que mudar de roupa ou levar com um carro em cima pela estrada...

2 comentários:

Gaja Maria disse...

Por vezes há que fazer escolhes redefinir prioridades e há coisas que em certas fases da nossa vida fazem sentido e noutras não. Há que viver o melhor possível, sem culpas :)

Algures no Oeste disse...

Gaja Maria: É mesmo isso, são fases e prioridades e viver sem culpas...
Beijinhos. :-)