terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Já está ou tudo passa

São frases 'cliché' ou que se ouvem constantemente pela vida fora mas a verdade é que, realmente, já está, o Natal e Ano Novo já passaram e, como tal, tudo passa.
Passaram as festas, as férias, o andar para cá e para lá e num abrir e fechar de olhos, estamos, ou estou, em 2018...
Não tenho vindo muito aqui por alguma falta de vontade, de preguiça e duma inércia que se apoderou de mim que terei que contrariar neste novo ano.
Desta vez não fiz grandes planos ou estabeleci metas ou pedidos e desejos para 2018, ainda que tenha em mente algumas coisas essenciais que quero fazer, mudar, alterar, tentar e por aí fora.
Também não fiz grandes balanços ou comparações ainda que, inevitavelmente, pense que 2017 foi (muito) melhor do que 2016.
Ainda assim, 2017 foi o ano em que menos pedalei nestes últimos anos desde que... pedalo...
Hoje é o dia de regressar às rotinas e por isso ainda estou para aqui numa espécie de acordar e de aceitar que já não posso acordar tarde e de que o despertador voltou a tocar de manhã, que já não me posso virar para o lado e aninhar-me na cama e ficar a dormir mais um bocadinho.
O outro cliché é o de que o tempo passa a correr e que tudo passa realmente (muito) depressa.
Vai daí que o que se passa é que quero e vou vivendo os dias, as horas e os momentos.
E ainda que tenha alguns propósitos ou 'objetivos' ou que isto ou aquilo acontecesse ou mudasse, vou andando por aqui e o resto, logo se vê.
Feliz 2018.
The best is yet to come, tchim-tchim...



Sem comentários: