quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

5 anos.
O meu pai partiu há 5 anos.
Como é possível ter passado tanto tempo...
Sinto-me a repetir mas a dor da ausência permanece num canto do meu coração.
Às vezes sonho com o meu pai.
Às vezes acho que converso com ele acordada.
Como eu gostava que estivesse presente, na minha vida e na do neto...
Mas a vida não quis que assim fosse...
Vou... olhar em frente e... desapegar-me... o meu pai ia gostar... desapego era com ele... e a sabedoria da vida também...
E é isso...