quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Quando é que percebemos que não estamos muito bem...

Neste momento não consigo explicar bem o que me vai na alma. Só sei que ainda que esteja tudo bem, e tendo o meu filho e o meu marido comigo e que ambos estão bem de saúde e bem no geral, e que não tendo nós problemas graves ou perdas mas eu não me sinto lá muito bem...
E sinto que me estou a tornar repetitiva mas a verdade é que não tenho grande paz interior.
Sinto saudades dos meus pais.
Sinto saudades de ter alguém com quem conversar que, e agora pasmem-se, é algo que não tenho no Oeste, nem onde vivo, nem no trabalho. Não tenho "aquela" pessoa com quem posso dizer parvoíces ou desabafar coisas triviais.
Tenho saudades de me rir com vontade porque neste momento parece que acho tudo triste e deve ser por isso que ando em versão mãe lamechas.
Sinto-me muito só ainda que esteja acompanhada.
Sinto-me com muitas desilusões, vindas de muitas pessoas, e ontem, um dia importante, constatei que mais umas quantas pessoas que eu julgava serem minhas amigas de verdade, e que as recebi em minha casa várias vezes, não se lembraram do aniversário do meu filho...
Obrigada a vocês que deixaram aqui os parabéns no blog :))
Gosto muito de estar no Oeste, continuo a dizer que foi a melhor escolha que fizémos para a nossa vida mas estas coisas que sinto cá dentro, estão a ficar fora do meu controle e fazem-me ficar triste e com vontade de me fechar ainda mais.
Esqueço-me de coisas...
E bem sei que os meus pais, o mano do meu filho e a bisavó vão cá estar neste fim-de-semana mas só me apetecia era ficar em casa, ficar com o meu filho mais tempo do que aquele que passo.
Depois de passar por tanto é que penso como é possível conciliar o trabalho, o ser mãe, o desporto, o ser dona-de-casa, ser mulher, ser gestora do lar, ser tanta coisa sem dar em doida...

5 comentários:

Luísa disse...

Sei muito bem muito bem o que estás a sentir... eu também não tenho ninguém por aqui!
Um beijinho e um abraço apertadinho

Maria disse...

Acho que acabamos sempre por ter este tipo de pensamentos e, em alguns momentos da vida, sentimo-nos verdadeiramente sós. Pelo menos eu tenho essas sensações, de vez em quando.
Queria deixar-te aqui um beijinho de parabéns atrasados para ti e para o teu filhote! Espero que tenham tido um dia muito, muito feliz!
Bjs nossos e força!

mamã da princesa disse...

Entendo perfeitamente essa tua inquietude.
Mais a mais, mudas-te tudo.
Agora eu que estou no mesmo sitio desde sempre passa-se o mesmo comigo, o que ainda é mais estranho.
Não sei que te diga, nem tenho palavras de alento para ti, pois também eu sinto saudades de rir e conversar com uma amiga. Com uma amiga daquelas, do peito, a quem confiamos a nossa vida. Amiga essa que não tenho e as conversas com as outras pessoas são conversas de circunstância.
Também eu sou feliz e amo a minha filha e o meu marido, mas... por vezes sinto-me a sufocar, se bem que os probleminhas que vão acontecendo aqui no emprego não ajudam em nada...
Ás vezes apetecia-me gritar e pensar só em mim...
Desculpa este meu desabafo, pois em nada te ajudou, e se calhar era preferivel estar calada... mas também eu me sinto sozinha e nem saí daqui...

Beijinhos amiga (e desculpa outra vez)

Anónimo disse...

respirar fundo, ter muita calma, uma coisa de cada vez. e novamente, respirar fundo, ter muita calma,...aproveitar cada momento...

ana b

Rita Ferreira disse...

Eu estou aqui!...