quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Quase todos os dias acordo a pensar...

Acordo a pensar, quase prostrada, que não me apetece levantar, nem continuar, nem fazer nada. Penso muito na nossa mudança para o Oeste. E ainda que não haja problemas, e isto é um contrasenso, realmente apetece-me baixar os braços e não dar seguimento a nada. Sinto-me cansada. Mas depois caio na real, penso no meu filho e levanto-me, dou o melhor de mim, e nestes dias sinto-me um 'robot' ainda que milhares de pessoas no mundo sintam o mesmo.
As mudanças foram tantas que me pergunto se passado este tempo, mais de um ano, não estarei agora na ressaca de qualquer coisa.
Mudei de casa.
Mudei de localidade, conselho e Distrito.
Mudei de trabalho.
Mudei de horários.
Mudei de conhecidos.
Mudei o meu corpo.
Mudei. Muito...
Gostava de atingir, não um ponto de perfeição porque isso não existe, mas um estado zen qualquer. E a letra da música Estou Além do António Variações diz tudo o que sinto:
Não consigo dominar
Este estado de ansiedade
A pressa de chegar
P'ra não chegar tarde
Não sei de que é que eu fujo
Será desta solidão
Mas porque é que eu recuso
Quem quer dar-me a mão
(...)
E por aí fora...
 

2 comentários:

SC disse...

É como tu dizes, foram muitas mudanças num ano só... o corpo e a mente vão se ressentindo aos poucos e chega a uma determinada altura que tudo está ressentido e corpo reage...

Isabel disse...

Tu vais dar a volta por cima, tenho a certeza! É uma fase, e este tempo "escuro" também não existe.
Um grande beijinho!