terça-feira, 17 de maio de 2011

A vida, as mudanças...

Dou por mim a pensar que a vida e, principalmente, todas as mudanças ocorridas desde que nos mudámos para o Oeste, fizeram de mim uma pessoa menos cor-de-rosa, menos 'afectada' por determinadas coisas, mais desprendida em relação a outras.
Por vezes tenho quase "medo" de onde isto me possa levar porque já me sinto muito mais objectiva, pragmática, racional e quase insensível nalguns assuntos e sem paciência para grandes lamechices...
A vida tornou-me mais dura, o que é bom, mas às vezes tenho saudades de sorrir mais, de ter mais esperança nas coisas e nas pessoas, de me entusiasmar mais com certas coisas, de me empolgar com outras.
Neste momento a vontade de sorrir é pouca. Faço-o por cortesia, faço-o porque a vida até tem corrido bem dentro do possível e do plausível, e faço-o para o meu filho e para o meu marido.
Há coisas que não matam mas moem e tenho a perfeita noção da mágoa que sinto por causa de determinados 'acontecimentos' de que não me apetece falar aqui e, pior ainda, porque sei que não tenho "culpa" e que "não merecia" tal coisa.
Creio que não me estou a tornar numa pessoa amargurada, longe disso, mas há desilusões que nos afectam realmente muito na nossa forma de estar na vida...

4 comentários:

mamã da princesa disse...

Também eu me sinto mais "coração de pedra"!
Aquela "manteiga derretida" vai desaparecendo aos poucos, mas penso que faz parte do processo de crescimento e é a própria vida que vai fazendo isso acontecer...
Se tenho saudades do "outro tempo"? Tenho, ria mais, andava mais bem disposta e humurada, quase nada me preocupava, se bem que não sou uma amargurada com a vida, mas também sinto este crescimento interior... além do que por vezes fecho-me no meu "casulo" e tento até nem me preocupar com o que me rodeia...

Não sei se entendes, até porque este coment está bem "complicado" (como eu hoje).

O tempo por aqui tem mesmo escasseado e não se avizinham melhores dias... vou passando para "saber" como estão e vou tentando comentar, mas sabes como é a falta de tempo...

Beijinhos grandes

Anónimo disse...

Por vezes, por aqui passo e, hoje, não poderia deixar de comentar, pois sinto o mesmo, mas talvez já esteja numa fase em que já não dói, o que ainda é mais desvitalizante...aprendi a viver sem ilusões e sonhos, quero dizer, tento mantê-los, pois não consigo viver sem os nutrir, mas sabendo, lá no fundo, que nunca se concretizarão...o passado é tão marcante que me abafa o presente...por vezes, já nem tristeza sinto, apenas um silêncio tão profundo que me conduz a uma paz estranha, como se hoje fosse o último dia do resto de uma vida que não será minha...deve ser do adiantado da hora, mas só para dizer que lhe desejo que tudo passe, vai passar e vai sorrir de novo, com vontade :)

Carla Isabel disse...

Minha querida, continua a sorrir...de coração!

Bjs

Algures no Oeste disse...

Anónimo(a): Obrigada pelas suas palavras, volte sempre que quiser. Acredito que tudo passa, essa é a esperança...
Até breve.