sábado, 19 de novembro de 2011

Achamos que existem 95% de probabilidades de não voltar a ganhar o peso perdido quando...

Quando nos dizem que aquele pão era mesmo bom era com doce, manteiga, queijo e fiambre... E eu comi o pão apenas com um bocadinho de doce. Não me fiquei a babar nem a moer no "assunto", não senti qualquer pena de não comer o pão com tudo aquilo e genuinamente nem tive vontade...
O que imediatamente me saltou cá para fora e que o expressei verbalmente foi que "Nem pensar em comer tanta coisa num pão!!! Perder 26 quilos deu-me muito trabalhinho, exigiu tanta força e empenho de mim, aliás, ainda tenho "trabalho" para manter o peso (mesmo tendo o maior prazer do mundo em todo o exercicío que faço...) e agora ia estragar "tudo" ao comer assim desalmadamente!!!"
Era tal e qual como se tivesse sido drogada (salvo seja), tivesse recuperado e estivesse completamente livre de drogas e agora ia experimentar outra vez um bocadinho... Acho que a situação do peso é análoga aos casos de droga e de dependências, sendo que nunca consumi drogas ou fui dependente fosse do que fosse...
Perder peso e mantê-lo é uma postura, temos que ter força e mentalizarmo-nos para tal...
Quando sinto que alguma mulher me "olha de lado" porque estou mais elegante ou porque não tenho barriga alguma, penso cá para comigo que o esforço foi (e é) todo meu. A barriga lisa e definida não me caíu do céu, trabalhei muito para a ter e ainda trabalho...!!! Quase sempre faço 60 abdominais nas minhas idas ao ginásio (mais ou menos 4 vezes por semana)...

1 comentário:

Rachel disse...

O mais dificil pra mim é mesmo "fechar a boca", neste momento já como menos, pois eu comia que nem uma desalmada, evito repetir a comida à refeição. Se a minha balança não estiver avariada, já perdi 2 kg desde qe comecei a ginástica. Acho que a barriga está menos volumosa, mas o estômago ainda sai por fora das calças! Ms estou entusiasmada e é o que me admira mais, pois nem sequer estou inibida de ir, isto porque eu era assim. Inscrevia-me nos ginásios e depois começava a faltar, por vergonha, por preguiça... sei lá.