quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Mãe desnaturada...

Eu às vezes realmente mais pareço uma mãe desnaturada e destrambelhada...
Fim do dia, lá vou eu buscar o filhote à escolinha. Chego à sala e estão todos sentados no chão a ver um filme, alguns com as pernas 'esticadas'...
O filhote levanta-se num ápice com um sorriso enorme e corre para mim. Mas corre como nos filmes românticos, sabem, em que estas cenas aparecem em câmara lenta.
Corre para mim e tropeça nas pernas duma amiguinha que estava sentada... Em câmara lenta o filhote 'estatela-se' no chão e cai amparado num abraço a mim já que eu estava de cócoras à sua espera.
Bem... começa a chorar e eu começo a rir frenéticamente. Ficámos abraçados, eu a aconchegá-lo e a ampará-lo (claro que percebi que o tropeção não tinha sido grave, foi mais o susto...), ele a choramingar e eu só a rir...
É que não me conseguia controlar, só me ria da cena do filhote ter corrido e ter caído a tropeçar.
Eh pá, sou mesmo uma mãe desnaturada não sou. O meu próprio filho angustiado com a queda e eu a rir que nem uma perdida...
Por momentos pensei que não tomo ansiolíticos mas que, se calhar, o desporto imenso que faço deve exercer um efeito semelhante de alegria e efusidade, de boa disposição, e, às tantas, como o exercicío é tanto, se calhar o efeito que faz é também 'exagerado'... De facto, não conseguia parar de rir...
Entretanto o filhote começou a sorrir também e viémos, mais uma vez qual filme romântico, de mãos dadas para o carro...
Ufa...

3 comentários:

Cris disse...

LOL

Já me aconteceu não conseguir parar de rir, mas não da minha filhota lol

Beijos.

Elsa disse...

tadito eh eh mas correu bem, ele depois também já sorria :)

Isabel disse...

:-)))

Beijocas grandes!