terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Do melhor do (meu) mundo

Pegar no meu filho e dançar e brincar com ele como se não houvesse amanhã e rirmos os dois que nem perdidos...
Sempre achei que tinha sintonia, em termos de amizades, com quem risse com vontade das mesmas coisas e isso, de facto, sempre aconteceu... Sempre me "dei bem" com as pessoas com quem me ria, a quem eu achava graça e que achavam também piada a algumas das coisas que eu dizia (digo)...
E é por isso que sinto uma felicidade imensa por eu e o meu filho termos essa cumplicidade, a de rir, a de rirmos juntos, de eu me rir dele (salvo seja) e dele se rir de mim (salvo seja outra vez) e das patetices que eu (lhe) digo e faço...
Brincamos muito e é nesses pequenos momentos que percebo que a minha felicidade imensa está ali naquele ser para quem eu muitas vezes não tenho paciência porque estou cansada, porque tenho que fazer o jantar, porque tenho que tratar da roupa, porque tenho isto e aquilo para fazer...
A vida seria tão mais simples se houvesse mais tempo e menos tarefas domésticas...

1 comentário:

Isabel disse...

É maravilhoso o que sentimos pelos nossos filhos!

Beijocas!