domingo, 25 de março de 2012

Bem sei que (quase) ninguém está interessado...

Mas eu coloco estes posts na mesma, está bem?
Vai daí que hoje fui pedalar outra vez e foi o máximo. Há que aproveitar quando os meus pais cá estão para ficarem com o filhote e assim podermos ir os dois pedalar...
E hoje foi engraçado porque fui com o maridão e mais pessoas do grupo dele de BTT. Confesso que estava com receio porque sou algo insegura relativamente às minhas capacidades 'pedalísticas' e vai daí que estava com medo de ficar para trás ou que algo corresse menos bem... Eu e as minhas inseguranças tótós...
É certo que tenho falhas técnicas em trilhos mais complicados mas, de resto, até acho que estou bem... Estas lacunas técnicas de que falo poderiam ser ultrapassadas se pedalasse mais vezes por estes caminhos cheios de pedras, areias, troncos, subidas e descidas íngremes e em pisos instáveis mas... sozinha não me aventuro por tais sítios...
E é por isso que tenho realmente pena de não pedalar mais em grupo e por caminhos mais dificeis... Ainda para mais, era para ir a uma maratona só lá mais para a frente e, afinal, vou participar numa muito mais brevemente do que imaginava...
Que a força esteja comigo...
E vai daí que os dados de hoje foram:
Distância: 37.54 km,
Tempo total: 02:39:09,
Velocidade média: 15.3 Km/h,
Calorias gastas: 1382 kcal.
Que bem que isto me sabe... Estou cada vez mais viciada na bicicleta... Sinto-o e tenho a noção disso...
Para além do mais, hoje foi o dia em que atingi a velocidade máxima a andar de bicicleta: 60 kms/hora, o que é realmente muito e só foi possível numa descida muuuuiiiiittttoooo inclinada... Demais...



2 comentários:

Elsa disse...

que raio de título de post eh eh!!! força nisso, isto é para teu próprio gozo e o resto é conversa :)
viciada? quem tu? naaaaa :p

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Tenho uma admiração bestial por quem anda assim de bicicleta.

Em pequenina sempre sonhei com uma, só que o sonho só se realizou já tinha eu mais de 20 anos e aprender em idade adulta não é o mesmo que aprender em criança, digo eu para tentar justificar a minha aselhice e falta de jeito. E cada vez que ando, se não cair, o que mais me fica a doer são os braços, isto não é normal! Mas que gosto, gosto!