quinta-feira, 12 de abril de 2012

Porque é que quando queremos muito uma coisa...

O Universo parece reunir as condições adversas, vindo de diversas direções e muitas vezes de onde menos se espera, como que a conspirar para que não se consiga aquilo que muito se quer...?
Neste momento, eu que sou uma pessoa pacífica, apetece-me bater nalguma coisa, ou melhor ainda, não fossem dez da noite, pegar na bicicleta e pedalar desenfreadamente, sem destino certo, apenas ir até esgotar a minha raiva contra as condições que estão a fazer com que, até ver, eu não possa concretizar algo que muito queria.
Não é justo.
Não mereço.
Mas...
Penso que pode ser um sinal e resignar-me à minha pacata existência e fazer mas é o que está ao meu alcance.
Querer mais para quê?
É nestes momentos que acho tudo uma m***a pegada e que vale mais estar quietinha e desatar a varrer o chão, limpar paredes, coser meias, cozinhar muito e adorar a vida doméstica que detesto...!
É nestes momentos que coloco tudo e mais alguma coisa em causa...
É nestes momentos que nada parece valer, ou ter valido, a pena...

Sem comentários: