domingo, 13 de maio de 2012

A vida é difícil

Ninguém disse que era fácil mas eu sinto que há muitos anos que não tenho "sossego", seja lá o que isso for.
Ninguém é perfeito nem ninguém tem uma vida perfeita e isto, dentro da normalidade duma pessoa comum, com uma vida comum e igual a tantas outras, é apenas um desabafo.
Sinto-me... cansada. Não cansada de pedalar nem das aulas de Cycling.
Estou cansada e é de mim e de coisas minhas e da vida que me tem vindo a tornar dura e sem paciência para uma série de coisas.
A vida tem vindo como que "a matar" as minhas esperanças e os meus sonhos cor-de-rosa. A menina que fui e que eu era já lá vai. Quer dizer, ainda está cá dentro mas muito bem escondida...
Costuma-se dizer que Deus ajuda a quem muda e, sinceramente, ainda que não vislumbre nem pense ou queira voltar para perto de Lisboa, tem dias em que isto tudo é muito complicado. E, sinceramente, devo ser realmente muito forte. Dentro das tais normalidades na vida duma pessoa normal têm acontecido diversas situações que bem que me podiam mandar abaixo mas, até ver, ainda não mandaram...
Só que tem dias, dias em que não estou a pedalar na rua ou a transpirar que nem um cavalo no cycling, em que tudo vem à tona e à cabeça.
E sinceramente, a desilusão é tanta que é apenas compensada com belos momentos e surpresas da mesma vida normal e comum.
Contudo, o cansaço vem e instala-se e dá origem a uma espécie de revolta interior que me leva a pensar "porquê", que me faz pedalar mais depressa do que é habitual, que me faz não acreditar em quase nada nem em ninguém, que me deixa quase incrédula perante certos momentos e contigências...
É triste chegar quase aos 40 com tamanhas desilusões.
É triste principalmente porque, supostamente, metade da vida já passou e o tempo urge...

Sem comentários: