segunda-feira, 9 de julho de 2012

Escavacada...

É, podia estar completamente escavacada mas não estou, nem física nem psicológicamente depois da prova a que fui no fim de semana.
Esta prova foi extremamente dura com muitas subidas a pique, descidas mais que íngremes, e muitas mas muitas pedras e 'gravilha' para além das areias, terras e troncos 'habituais'...
Fomos mesmo por gosto, eu e o pai lá de casa, porque esta prova foi a nossa primeira fora da zona do Oeste a que estamos habituados e por isso estávamos algo expectantes. Com mais de duzentos inscritos, creio que só seis ou sete eram mulheres mas nunca me passou pela cabeça que quase no fim da prova me dissessem que eu era a primeira das mulheres, sendo que eu e o pai lá de casa viémos sempre no 'pelotão' mais à frente na prova...
Quando ouvi aquilo fiquei extremamente feliz e nem queria acreditar que tal me estava a "acontecer". Fiquei ainda mais cheia de genica e só pensava que faltavam apenas 10 kms para terminar a prova...
Pois eis senão quando que aparece uma descida muito difícil e inclinada e cheia de pedrinhas, pedras e pedragulhos e eis que no fim dessa descida em que a vossa amiga ia a 30 kms/hora há ali qualquer coisa e eu e a bicicleta caímos estateladas no chão...
Foi duro e doeu, o impacto foi com a perna e até pensei que a tinha partido tal era a dor que senti mas afinal consegui levantar-me e na minha cabeça só ecoava que tinha que terminar a prova.
Estranhamente, com tantas dores e sangue na perna, no braço e no cotovelo, não chorei e mais uma vez não me (re)conheci...
Entretanto o pai cá de casa chegou perto de mim e foi tudo muito rápido porque me depressa me levantei, agarrei na bicicleta e aí fui eu cheia de sangue a pedalar até à meta...
Com este percalço lá se foi o primeiro lugar das mulheres mas também não desmoralizei. Senti-me realmente muito dura, quase imbatível, ao levantar-me daquela queda brutal.
Também senti que parecia que havia um qualquer "bruxedo" para que nunca ficasse nos primeiros três lugares. Quando o estava a conseguir, e em 1.º lugar ainda por cima, pumba, tinha que cair e assim ficar para trás...
Pronto, só acontece a quem faz...
Mas de resto gostei muito da prova e de sentir que estou a melhorar de maratona em maratona...
Foram 30 kms de dureza elevada que me gastaram qualquer coisa como 1600 calorias...


- fotos retiradas -







3 comentários:

Corre como uma menina disse...

Estás a brincar?! Deste uma grande queda (são esses ténis de encaixe, é o que te digo!!! ;p) e LEVANTASTE-TE e CONTINUASTE até ao fim! Para mim já és uma vencedora, parabéns!

Bjs

Vera, a Loira disse...

Como te compreendo, sou uma choramingas, qualquer coisa e já estou a fazer um filme, mas no BTT nunca é nada, toca a montar a bike e continuar. A única vez em que me magoei um pouco mais, foi logo no inicio de uma volta, então montei na bike, fiz mais 40 km do passeio que era nocturno, não me queixei nenhuma vez e quando cheguei a casa e vi a perna naquele estado nem tive coragem de olhar mais, passei dias e dias sem coragem de olhar novamente de taão feia que estava.

Maria disse...

Ai credo Ana Luisa... autch!!!
:)
A rapida cicatrização!!! E boas corridas!!!!