quinta-feira, 27 de setembro de 2012

A dois dos setenta...

É hoje. O meu pai faz 68 anos, como o tempo passa... Parece-me mentira que está a dois anos dos setenta e que o tempo passou tão depressa, para ele e para mim...
Lembro-me sempre do meu pai forte, um homem de forças, a trabalhar horas a fio, sem horários, sem férias, um homem honrado, honesto e às vezes com um feitio difícil que sempre tratou de que nada faltasse em casa, principalmente a mim, à escola e à Faculdade...
Lembro-me sempre que cantou fado anos a fio e que eu, nas minhas crises tótós de adolescente, nada gostava de fado, embirrava com aquilo, e hoje em dia, quando ouço algum fado que me diga algo mais, emociono-me porque me lembro do meu pai.
Lembro-me do meu pai porque entretanto devido às doenças e aos internamentos que teve deixou de poder cantar, fala normalmente mas foi-se o fôlego, a força e a voz com que cantava...
Ficaram os problemas no coração e a diabetes...
Durante o meu crescimento quase sempre andámos às turras e quase sempre as pessoas diziam que era por sermos tão parecidos de feitio. Até fisicamente o somos, costumam dizer que eu sou o meu pai de cabelos compridos... :D
Parabéns pai.
Amanhã os meus pais veêm para o Oeste e assim estaremos juntinhos, já tenho saudades...
 

Sem comentários: