domingo, 25 de novembro de 2012

Mas porque é que...

Mas porque é que sempre que vou, estou e ando por Lisboa e pelo sítio onde sempre morei, parece que afinal nunca cheguei a sair de lá...?
É uma estranha sensação mas é o que eu sinto. Quando ando por lá lembro-me de tudo e é como se nunca tivesse chegado a sair de lá e, na verdade, já passaram três anos desde que nos mudámos para o Oeste...
Pergunto-me constantemente se conseguiria ou quereria voltar a viver por ali e na verdade não sei porque quando ali regresso é tudo feito numa correria entre visitas a familiares, almoços e jantares e as idas às catedrais do consumo para, precisamente, consumirmos e entrarmos em devaneios, principalmente devaneios desportivos.
Ir à Decathlon é para mim algo extasiante mas não deixei de ir à Zara, à H&M, à C&A e por aí fora...
Na verdade o que me importa é a dor de vir embora e 'deixar' os meus pais "lá atrás". Se calhar agora só nos voltaremos a ver no Natal e nestes fins de semana de correria entre a família que temos deixa-me deveras pensativa quanto ao rumo da nossa vida no Oeste...
Veio imenso material para a bicicleta mas não veio a alegria de saber que não tenho os meus pais próximos de mim e esse é o meu ponto fraco... Valerá tudo isto a pena, as ausências, as distâncias, as saudades, muitas vezes não sei.
E também não sei se o consumismo de dois dias e as evidentes facadas (ou deverei dizer verdadeiros facalhões) na dieta não compensam a dor da distância, o esforço numa série de coisas.
Nestes dias como quase como uma tresloucada, não faço exercicío e durmo como não dormia há semanas, meses... É na casa dos meus pais que acalmo e que durmo até às dez da manhã numa manhã de domingo, algo impensável no Oeste, seja porque acordo naturalmente mais cedo, seja porque vou andar de bicicleta...
Vida... é a vida...

1 comentário:

AjBernardo disse...

...é isso mesmo !!
...é a vida...
...não imaginas as vezes que já tive para largar tudo e ir viver para o "campo" !! seja Oeste , Este , ou outra direcção qualquer...

...eu não ía ter saudades disto , estou "farto" da cidade , também tenho cá a minha mãe na cidade , mas eu sinto-me preso aqui...

...e realmente, se não fosse por ela , ía , e não voltava !!

...vida... ;)