quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

A cabeça feminina é mesmo algo extraordinário...

Mas por que será que realmente nunca estamos satisfeitos connosco ou então por que será que começamos a reparar em tudo e mais alguma coisa e a criar "minhocas" na nossa cabeça...
No balneário do ginásio, antes de ir para a aula, até achei que estava com boa cara.
Entretanto começou a aula e, lá está, ainda que adore os exercicíos, comecei a não adorar o que  via no espelho...
Ali estava eu, primeiro com uma camisola de manga comprida por causa do frio, e depois de cavas porque entretanto fiquei cheia de calores, ali estava eu frente ao espelho, sem ninguém à minha frente, e a achar-me 'cheiinha' no rabo e nas ancas, magra a verem-se os ossinhos no peito, na parte das clavículas e do esterno, marcas de bronzeado de blusas de manga curta, ainda de andar de bicicleta no tempo mais quente, e as mãos brancas das luvas que uso a pedalar.
Por  momentos auto critiquei-me mais do que o habitual e estupidamente apetecia-me olhar para todo o lado menos para mim no espelho...
Gostava de ser daquelas pessoas que adoram ver-se ao espelho (em público), cheias de auto confiança e poses sem qualquer problema...
Eu até gosto de me ver ao espelho mas é em privado e depois quando começo a achar que estou mais "composta" em determinados sítios, parece que me passa uma "coisinha má" pela cabeça...
Bem sei que isto são parvoíces e que mais loguinho isto passa.
Ainda pensei não ir à aula porque chovia imenso e porque parece que sou demasiado certinha e fixa mas depois pensei que se ando de bicicleta com a chuva a cair a potes, no meio da lama que se esvai como se fosse um rio, porque raios não hei-de fazer uma aula que é dada numa sala abrigada num local fechado?
Hello?!
:O


(imagem da net)

Sem comentários: