domingo, 28 de julho de 2013

Afinal... Não foi qualquer dia, foi mesmo hoje...

Afinal, depois de muito pensar, depois da emoção de ontem voltar a conduzir e de ter a 'permissão' na Fisioterapia para voltar à minha vida "normal", incluindo voltar a pedalar com as devidas limitações, não foi num qualquer dia que voltei a pedalar, foi mesmo hoje...
Tive o apoio e o suporte incondicional do pai cá de casa e por isso combinámos que seria à minha maneira, ou seja, que se em algum momento eu vacilasse, tivesse medo ou quisesse voltar para casa, que assim o faríamos.
Saí de casa meio aos zigue zagues, como se a bicicleta e a estrada fossem algo estranho para mim, como se eu estivesse embriagada... Entretanto aparece a primeira descida e foi numa descida que caí... Agarrei-me com toda a força à bicicleta e travei, ia travando para que a velocidade fosse diminuta, e foi, o que é 7/10 kms/hora numa descida... Parecia uma velhinha em cima duma bicicleta tal era o receio com que ia...
Enfim, mas lá prossegui. 
Ainda bem que depressa deixámos o alcatrão e entrámos na terra.
Contudo, senti-me muito presa, pelo medos e receios, senti que perdi parte da minha forma física pois cansei-me mais facilmente e transpirei mais do que o habitual. 
O peso a mais também contribui para que a pedalada não seja a mesma. Dez quilos a mais em cima duma bicicleta fazem toda a diferença... E nas fotos em que estou de pé, o meu olhar clínico e auto crítico detectou imediatamente aquilo que eu já sabia: a gordura instalada nas coxas e glúteos...
Em suma, foi um misto de emoções. 
Se por um lado consegui vencer este 'obstáculo' de voltar a andar de bicicleta e dois/três meses mais cedo do que esperava, imaginava e me disseram que seria possível, por outro fiquei triste com os meus receios (que são normais, tendo em conta o que me aconteceu...) e com a minha falta de força e por estar em baixa forma física...
Depois, chego a um ponto, passadas para aí umas duas horas, em que começo a ter dores e a sentir-me desconfortável na zona do ombro e do braço. 'Abano' o braço, dobro-o e paro para ver se o mau estar alivia. E alivia... E bebo água e bebidas isotónicas. E então prossigo.
Mas não sei. Senti-me muito mais racional a andar de bicicleta. Gostei, foi bom e tal, mas não me senti como me sentia antes que era geralmente 'extasiada'...
Gostei de ir nas calmas, de passear, de fazer apenas 30 kms, mas... parece que não senti aquela emoção que sentia a pedalar. Quem sabe com  o tempo isto passa...

- foto retirada -


3 comentários:

Alexandra de Amorim disse...

Miúda ;), acho que qualquer pessoa ao fim de duas horas sente dores, o que fará tu depois do que passaste... Esses mixed feelings todos parecem-me bastante naturais, mas tu voltaste a pegar na bike e fizeste 30 km! Apesar das inseguranças e das cautelas, parece-me razão mais do que suficiente para festejar! Um brinde a ti :D

Agora vai ser sempre a melhorar ;)

THE GLITTER SIDE | FB | IG

Algures no Oeste disse...

Obrigada Alexandra, um grande beijinho e um brinde também a ti, tchim-tchim ;-)
Obrigada por estares sempre desse lado.
Beijinhos :-)

Maria disse...

Orgulho de ti e em ti!!!
:D
Beijinhos