sábado, 27 de julho de 2013

Punhos novos

Punhos novos para a bicicleta. 
Não se percebe bem a cor mas são encarnados. Vermelhos. Vivos. Para dar vida. Para ver se consigo ainda agarrar a bicicleta, o 'boi', pelos 'cornos', salvo seja.
It's time.
Chegou a hora. A hora de perder os medos e voltar à minha vida.
Enfrentar receios, pavores, dores e amores.
Sim, porque a bicicleta é uma espécie de amor. Magoa-nos, faz-nos sofrer, faz-nos pensar na vida, repensar tudo e mais alguma coisa mas... não a conseguimos deixar...

Limitada nos movimentos do braço e do ombro, é certo, com dores mais que reais e frequentes, mas ao fim de quase vinte sessões de Fisioterapia estou 'liberada' para fazer (quase) tudo o que fazia antes de cair e de ser operada, de preferência sem medos...
Hoje voltei a conduzir. Conduzi poucos quilómetros e ao chegar a casa tinha dores no ombro. Mas... Ao fim de quase quatro meses, CONDUZI!!!
Pequenos grandes passos...
Chegou a hora. E a hora chegou para aí uns dois/três meses antes do esperado e inicialmente previsto. 
Tive melhoras galopantes nas últimas duas semanas, apesar das devidas limitações, e por isso na Fisioterapia 'libertaram-me'. Depois das vinte sessões continuo com mais Fisioterapia até, quiçá, conseguir levantar, rodar e ter mais força no braço. 
Até lá posso voltar a (tentar)... VIVER!!!


Sem comentários: