terça-feira, 16 de julho de 2013

Simplificar

Se há coisa que esta queda me trouxe foi a simplificação.
Por motivos físicos vi-me obrigada a deixar de poder usar as malas 'normais' do dia à dia. Não as podia colocar ao ombro e como estava (estou) debilitada, sobrecarregar o ombro saudável com o peso das malas também não ia fazer bem.
Vai daí que me vi obrigada a usar apenas uma bolsa do género de caminhadas, pequena, onde cabe apenas o meu porta moedas que tem lá dentro os cartões da minha vida e das minhas rotinas. Depois cabe uma caneta, alguns papéis, o telemóvel, lenços de papel e, com um pouco de jeito, uma garrafa pequena de água.
Isto tudo levou-me a concluir que tudo o que realmente preciso, cabe nesta pequena bolsa. Eu andava sempre com malas a combinar com a roupa e o calçado que lá dentro traziam um meio mundo de carteiras e coisas. Chegaram a perguntar-me para que queria eu duas carteiras e de facto foi uma pergunta pertinente. Na altura disse que me dava jeito ter as coisas organizadas assim mas afinal não precisava...
Um mundo dentro das malas e agora um mundo dentro duma bolsa tão pequenina...
Às vezes só mesmo algo radical para nos fazer perceber e organizar a vida e o nosso mundo doutra maneira...
Tudo o que preciso cabe naquela singela bolsa...
A questão é se quando eu voltar a estar "normal" e à minha vida "normal" se vou continuar a simplificar ou se voltarei a complicar e a encher-me de malas e de tralha(s) lá dentro...

2 comentários:

Just Me disse...

No fundo a vida é simples, nós é que a complicamos... :)

Vera, a Loira disse...

O essencial...