quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Foi apenas uma hora e pouco e ninguém me viu mas...

Hoje ao fim do dia fui pedalar e estava tanto calor que, francamente, não aguentei vestir blusas de ciclismo. E assim sem mais nem menos, ali estava eu, preparada para ir pedalar, cheia de calor antes mesmo de me exercitar, e com uma blusa de alsas, das que uso (usava) no ginásio.
A blusa azul a combinar com os meus calções curtos de ciclismo pretos, com uma risca azul, e o cabelo apanhado com uma fita... azul, deram-me ânimo para ir dar uma volta mais que curta porque saí de casa por volta das sete da tarde.
E assim, cheia de calores e quase sem complexos, levei pela primeira vez a minha cicatriz a pedalar à vista de todos ou de quem quisesse ver. Por acaso, e acho que felizmente, não vi ninguém e ninguém me viu. Quer dizer, viram-me sim mas sem "oportunidade" de vislumbrarem a cicatriz, ou porque ia do outro lado da estrada, ou porque ia relativamente depressa, ou porque não sei quê e não sei que mais.
Até parei para comer amoras, daquelas completamente selvagens, que se encontram nos arbustos à beira dos estradões mas não passou ninguém. Este vicio de comer amoras selvagens "aprendi-o" com a minha amiga das pedaladas que tem um passado campestre, ao contrário do meu passado que é todo ele urbano e citadino. Quer-se dizer, só comecei a "conhecer" o campo e o lado mais rural da vida desde que nos mudámos para o Oeste, e faz este mês quatro anos que tal sucedeu. Mas quando penso nesta minha amiga, penso entre outras coisas, que lhe 'agradeço' por me ter ensinado a comer amoras dos arbustos livres e selvagens que existem pelos sítios por onde pedalamos. É claro que eu não sou daquelas pessoas que pensava que amoras e frutos silvestres existem apenas em sumos e iogurtes mas também não sabia que existiam assim em tão grande volume à mão de qualquer um...
Bom, mas o cerne da questão, ou deste post, é mesmo o facto de ter ido pedalar com a cicatriz à mostra...
Agora só falta mesmo ganhar (mais) coragem e desatar a vestir as blusas e vestidos (giros) que tenho e que deixam aquele pedaço do meu corpo à vista...
Ah, pedalei 22 kms numa hora. Foi assim mais ou menos, quase tudo a direito, diria 80% campo e 20% alcatrão, 85% plano, 15% com umas subidazitas e descidas...

Sem comentários: