quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Nunca pensei dizer isto

Mas hoje "gostei" de voltar a passar a ferro.
É verdade, há quase cinco meses que não passava a ferro porque... não conseguia... E hoje, depois de muito lavar e estender, achei que era um "bom dia" para tentar passar a roupa e consegui. Contudo, acho que é mesmo a tarefa doméstica que mais abomino. Fiquei contente por a conseguir fazer mas... não tinha saudades porque definitivamente não gosto de passar a ferro.
Aliás, com as t-shirts, camisas e roupas mais elaboradas vieram as 'pontadas' e dores no ombro e no braço. Tive que fazer pausas...
Queria que tudo fosse 'normal' novamente e ainda que esteja muito melhor do que o previsto para esta altura, continuo a pensar no que me aconteceu e que eu não sou ainda a mesma...
Tive também mais uma sessão de Fisioterapia e por causa dos meus avanços houve também uma espécie de "upgrade" na dificuldade dos exercícios que faço... E por isso, por ser agora mais difícil fazer estes novos movimentos, fico cheia de calores e por vezes de dores...
Estou agora como estava no início do que agora já faço sem qualquer problema ou dificuldade mas a dúvida persiste: conseguirei algum dia voltar a levantar o braço na totalidade para cima, para os lados e afins sem me esforçar e fazer caretas pela dor provocada...?
Conseguirei algum dia voltar a rodar o braço...?
Não sei. Ninguém sabe. E é no fim das sessões de Fisioterapia que caio em mim como numa espécie de recaída e relembro a queda que tive, tudo por que passei, tenho passado e estou a passar.
A vida continua. Prossigo. Sorrio mas não há dia em que não pense nas dores que tenho tido. Não há dia em que não pense ou não sonhe com o meu pai.
Suponho que para mim este ano de 2013 seja o ano da dor, a dor física e a dor emocional...

Sem comentários: