terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Há coisas que parecem perdurar na memória

E talvez por causa disso, raramente ou nunca me engano a fazer Step e gosto daquilo.
De repente entro nos anos 90, tenho dezassete ou vinte e poucos anos - que foram os anos em que pratiquei Aeróbica e Step... - e salto, pulo e danço sem hesitações e sem me enganar, mesmo não estando a olhar para os pés da professora...
Parece que ficou e perdurou na memória tudo o que ao Step diz respeito, ainda que não fizesse nada disto há quase... vinte anos... (?!)... Transpiro muito e gosto de sentir a música e andar ali dum lado para o outro a saltar e a intercalar passos e coreografias...
Quando tudo se torna mais complicado é óbvio que sigo a professora mas só numa ou duas vezes porque automaticamente interiorizo aquilo e ando ali dum lado para o outro e, milagre, olho-me no espelho sem hesitações também ou dramas. Claro que o olhar crítico recai logo sobre os... glúteos... mas isso fica para outra 'oportunidade'...
E depois, claro, 'last but not least', o meu adorado Cycling. Pedala ao ritmo da música que também sabe bem. Dançar a pedalar e sem sair do mesmo sítio é algo que se sente cá dentro...
Digamos que ontem foi um bom dia para me exercitar...

(imagem da net)

1 comentário:

Alexandra de Amorim disse...

Também adoro step. E só tenho pena que neste ginásio não haja stepdance!

Também vejo cycling assim, como uma espécie de dança estática. ;)

The gLiTtEr Side