segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Terapia grátis

Chiça que não pedalava (ao ar livre, claro está) há quase um mês.
Vai daí que depois duma semana em que me senti menos bem, em que me recordei do ano que passou sobre a partida do meu pai, como me senti melhor do meu corpito e como o sol decidiu aparecer um bocadinho, eu e o maridão fomos dar uma volta, de bicicleta, claro está...
E soube-me pela vida... Mesmo ainda constipada e com um pouco de tosse e algumas dores musculares, levar com a brisa e fazer aqueles quilómetros ao ar livre foi como uma terapia que 'baixou' em mim... Senti-me tão mais animada e inspirada que concluí que não passo afinal sem pedalar...
Já o tinha notado quando de manhã, ao ir ao supermercado, tinham passado por  mim meia dúzia de ciclistas e olhei para eles num misto de 'inveja' e de saudades de fazer o mesmo...
Ainda bem que de tarde foi possível ir dar uma volta.
Trinta e sete quilómetros, mais coisa, menos coisa.
Que pena o tempo não estar sempre bom e que pena não ter mais tempo livre para isto. Afinal, trabalho o dia inteiro, num horário fixo. Saio do trabalho e ainda é de noite. E aos fins de semana é sempre uma correria.
Penso muitas vezes que as 'cracks' do pedal ou não trabalham ou têm atividades com horários que lhes permite pedalar durante muitos dias na semana.
Eu sou apenas uma mulher que trabalha o dia inteiro, o ano todo, que é mãe, que é mulher, que vou ao ginásio é verdade, e que pedala ao ar livre como se tivesse acabado de sair da prisão...
 


Sem comentários: