segunda-feira, 28 de abril de 2014

Há muito tempo que não me doiam as pernas...

Como escrever isto tudo sem parecer pirosa ou "sou muit'a boa" que é exatamente o oposto daquilo que penso e acho de mim mesma na maior parte do tempo... Sou deveras insegura na (minha) parte desportiva e por isso este ano ainda não me inscrevi em nenhuma maratona.
Estou sempre a auto criticar-me, a dizer que sou lenta, que ando devagar, quase a menosprezar-me quando, afinal, faço tanta coisa. Se eu visse isto noutra pessoa, apetecia-me bater-lhe e mandá-la calar! Afinal, o que é que interessa andar mais devagar ou mais depressa, o que importa é gozar e aproveitar a andar de bicicleta mas pronto, eu às vezes sou muito 'má' para mim mesma...
Por estes dias atingi algo que julguei não conseguir. No dia da liberdade fomos pedalar, eu e o maridão, rumo ao ponto mais alto da Estremadura mas... por trilhos e não por estrada... Fomos à aventura, munidos de bebidas isotónicas, água, barritas, bananas e géis para tentar gerir o esforço da melhor forma e acho que foi conseguido. Acho que foi a primeira vez que soube gerir o meu esforço e talvez por isso no fim não me senti cansada, muito pelo contrário, estava cheia de energia...
Lá fomos nós, sempre a subir, por trilhos muito inclinados, cheios de pedras que dificultaram a nossa pedalada e em partes teve de ser mesmo com a bicicleta à mão, tal era a inclinação e a quantidade de pedra espetada no chão...
Fomos bebendo e comendo mas pedalei subidas que julguei não ter capacidades para tal e, realmente, o melhor é chegar ao cimo depois de se terem passado por caminhos tão difíceis e sinuosos...
Quando finalmente chegámos, nem queria acreditar que tinha conseguido, não sei mesmo porque acredito tão pouco em mim mesma...
Ali estávamos nós no cume da montanha com uma vista descomunal sobre quilómetros e quilómetros de sítios que conhecemos de passar e sobre o mar...
Este era mais um dos meus objetivos ciclísticos, tal como o vir trabalhar de bicicleta, e por isso fiquei extasiante por o conseguir fazer, principalmente por trilhos...
Na volta parámos num supermercado para comer e beber um café que bem precisávamos, tirei quase cem fotos e há uma estória para quase cada uma delas...
Bom, de forma resumida, foram quase 74 kms pedalados em cerca de 5 horas e cinquenta e cinco minutos que me gastaram cerca de 3300 calorias, e a altimetria foi de 1900 metros (!!!).
Feito, conseguido, consegui. Então porque não acredito mais em mim mesma...?
Depois de chegados a casa só  me apetecia rir, enfim...
E depois ontem, estando em casa dos meus pais e sem bicicleta por perto, não consegui ficar quietinha e fui... correr... Algo de que não gosto e que me custa mas não é que até não correu mal...? Corro devagar, afinal foram 7 kms em 50 minutos mas penso e sinto que um dia chego aos 10 kms, é mais um objetivo meu... Neste tempo gastei cerca de 600 calorias o que é bem bom... E isto foi mais uma espécie de superação pessoal, afinal, corri sozinha, sem incentivos, e (muito) mais do que costumo ou consigo correr...
E talvez por tudo isto, hoje doem-me as pernas, o que não acontecia há muito tempo...
E talvez por tudo isto, devia estar mais confiante. Vamos ver...

2 comentários:

Alexandra A. disse...

Não sei como é que com essa "pedalada" toda tens essas questões de autoconfiança, mas eu sou... igualzinha, por isso devia perceber! lol Acho que é uma questão de insatisfação pessoas, de querer sempre mais. ;)

The gLiTtEr Side

Corre como uma menina disse...

Sou tal e qual assim, mas sem os pedais! ;) Realmente, às vezes são as pessoas próximas que têm mais confiança em nós do que nós próprias.
Beijinhos e parabéns pelo desafio!