quarta-feira, 18 de junho de 2014

A mãe, a mulher e a empregada maluquinha

Este poderia ser um resumo do meu dia ou o pressuposto do que vai na cabeça das pessoas que me veêm e que falam comigo mas que não expressam verbalmente o que acham na realidade... Quer dizer, nem todas ou talvez até nenhuma, podem ser coisas da minha imaginação...
Comecei o dia por ir levar o filhote ao sítio onde está agora nas férias da Escola de... bicicleta... Ele e eu, os dois a pedalar e devidamente equipados e de mochilas às costas. A mochila dele com um lanche, a minha com uma espécie de lanche e uma muda de roupa...
Achei que quando deixei o meu filho as pessoas que o receberam pensariam que mãe maluquinha tem este menino, desta idade e anda para aqui de bicicleta...
:P
Deixo o meu filho e sigo para trabalhar... Contudo, pelo caminho faço uma pausa onde está o meu marido com uns colegas.
Tento 'desafiar' algumas pessoas para combinarmos noutro dia uma volta porque gosto de "incutir" nas pessoas a vontade de pedalar, sendo que em 99% dos casos não tenho sucesso algum. As pessoas acham que não conseguem, que dói, que não dá, que não têm tempo, que não sabem andar de bicicleta, enfim, é só problemas... E depois eu remato com um de que a primeira vez que comecei a pedalar, há uns (poucos) anos atrás, fiz 14 kms que me pareceram muitos e regressei para casa de boleia...
Silêncio...
Bom, tenho que ir andando para não chegar atrasada ao trabalho.
Tchau aí, hein! (neste momento acho que não vale a pena insistir na 'questão' da voltinha de bicicleta...).
Viro costas e penso ou imagino se nas minhas costas pensam ou imaginam que esta mulher (eu) deve ser mas é maluca, não só porque anda de bicicleta com esta idade mas também porque vai trabalhar assim, com uma mochila às costas...
Mais uns quilómetros à frente e chego ao trabalho. Pessoas deambulam e veêm-me naqueles preparos, com um capacete a desfazer o penteado, parece impossível!!!
Bom, timidamente peço a chave duma sala onde guardo a bicicleta e troco de roupa e lá vou com a bicicleta à mão pensando ou imaginando que quem me viu ficou a pensar que aquela (eu) deve ser maluquinha, tão séria, tão formal, e vem nestes preparos para o trabalho!
Guardo a bicicleta, troco de roupa como quem troca de identidade, dou um jeito no cabelo. Com a simplificação de vir a pedalar nem trouxe relógio, pulseiras e demais objetos que compõem uma mulher no seu dia à dia... Apenas um pente e perfume.
Estou bem assim... (?).
Sento-me finalmente para mais um dia de trabalho e tudo parece melhor só porque vim a pedalar...
Se houve pensamentos ou zunzuns, não quero saber. Só quero saber da boa sensação com que fico ao longo do dia por ter vindo de bicicleta para o trabalho apesar de me dar algum trabalho simplificar o que trago e as trocas de roupa...
Se fosse algo mais comum em nós, no nosso país, se calhar nem se pensava tanto 'nisto'...

Sem comentários: