quarta-feira, 25 de março de 2015

Wondering...

Às vezes queria adormecer e quando acordasse queria que muitas das coisas por que estou a passar não fossem reais, que fosse tudo um equívoco, ou que em vez de ter ido pela opção a) tivesse ido pela b) ou, quiçá, não tivesse tido nenhuma opção...
Precisava tanto de tranquilidade e sossego, de um aconchego que sinto perdido desde que nos mudámos para o Oeste...
Queria enroscar-me como os gatos, apanhar Sol e descobrir que afinal está tudo bem, que tudo se resolve, como se fosse uma criança perdida. É que agora não há ninguém que me valha ou ampare como quando era apenas uma filha. A filha agora tem uma vida de adulta muito cinzenta nalgumas 'nuances', e chata como tudo.
Se soubesse que era isto que me esperava, preferia não ter... 'crescido'... Afinal, a caminho dos 41 anos parece que tudo se esvai, que corro e não saio do mesmo lugar, que nada se resolve, que é tudo um atrofio.
Então para quê continuar assim...

(imagem da net)

4 comentários:

Gaja Maria disse...

Se não te sentes bem, muda alguma coisa, mesmo que não resolva já vais sentir-te melhor porque estas a fazer algo por ti. Abraço

Algures no Oeste disse...

Obrigada GAJA MARIA.
Beijinhos... :-)

São disse...

«Não há mal que sempre dure, nem bem que nunca acabe!!». Beijinhos

Sol disse...

O importante é que dentro das escolhas que fazemos, sejam as melhores ou as piores, estejamos em paz. Não vale a pena pensar se tivesse sido desta ou daquela forma porque o tempo não volta para trás. Esta foi a escolha que fizeste, se não estás bem e podes mudar, muda. Não desperdices as oportunidades que a vida te dá de seres feliz. O tempo está a contar...
Beijinho