quarta-feira, 20 de junho de 2018

A perfeita anormal

A perfeita anormal devo ser eu porque, muito honestamente, não consigo vibrar com o futebol...
Desde miúda que nunca liguei ao futebol, aos jogadores e por aí fora.
Nunca me babei ou suspirei por jogadores de futebol, fosse na adolescência, em adulta ou agora que começo a ficar cota.
Lembro-me conhecer raparigas que algures entre os 17/18 anos e os 23/25 anos, iam assistir a treinos de futebol e eu pensava: mas que perda de tempo ou a variante "que seca, tenho mais que fazer"...
E vai daí que acompanho o meu filho nos treinos e jogos de futebol, desde os 4 anos, mas com o seu crescimento passei a assistir só aos jogos e mesmo assim, às vezes não percebo nada do que se está a passar, para além do óbvio.
Sendo assim, é com espanto e sentido-me uma perfeita anormal, que dou por mim a não vibrar, a não colocar cachecóis e bandeiras dentro e fora de casa, a não atualizar a minha foto do Facebook com motivos nacionais ou clubísticos, não faço patuscadas em casa, nem vejo televisão ou bebo cervejas enquanto decorrem jogos de futebol, da equipa de que "sou" ou da seleção nacional.
A sério, podem até ameaçar-me ou chamar-me parva mas não consigo mesmo sentir seja o que for por um jogo de futebol.
Quando vejo reportagens na televisão com as pessoas todas entusiasmadas, pintadas, a rir, eufóricas, aos saltos, a buzinar os carros, e a fazerem muitas outras coisas, é com estranheza que olho para aquilo tudo porque me sinto completamente imune e indiferente ao mundo futebolístico.
Talvez tenha vindo doutro planeta ou aterrado há pouco tempo e não me lembre mas o futebol não me faz sentir nada.
Há dois anos fui ver um jogo no estádio do 'meu' clube (Sporting), pela primeira vez, e aí sim, achei piada e vibrei mas mais pela massa humana e por todo aquele fenómeno do que propriamente pelo jogo em si.
Se repetiria? Sim, claro, não sou tacanha e fechada ao ponto de me recusar a ir um estádio ou a ver um jogo em que não entre o meu filho mas esta loucura com jogos, mundiais e campeonatos, não é para mim...

Sem comentários: